CATARATA


Definição

Catarata é o processo de envelhecimento do cristalino, espécie de lente clara e transparente situada dentro do olho, por onde penetram os feixes de luz que formam as imagens na retina.

Este envelhecimento provoca a opacificação do cristalino, reduzindo  entrada de luz no olho, diminuindo gradativamente a visão. A rapidez dessa evolução varia de pessoa para pessoa e até mesmo de um olho para o outro. A Catarata não é contagiosa. Seu nome popular "catarata", é uma alusão à sensação de se estar "vendo através de uma queda d'água".  A catarata é a principal causa de cegueira reversível do mundo.

Fisiopatologia

Normalmente, o cristalino é uma estrutura semi-sólida, composta por uma proteína gelatinosa e clara, contida em uma cápsula localizada atrás da íris; o cristalino possui um grande poder de refração (aproximadamente 1/5 do total). Uma alteração química na proteína do cristalino pode causar coagulação; em decorrência disto, o cristalino perde sua transparência original e torna-se gradativamente opaco. As alterações físicas resultam em edema das fibras, o qual, por sua vez, provoca distorção da imagem. As alterações metabólicas que reduzem o conteúdo das vitaminas C e B12 no cristalino podem ser um fator na opacificação. Embora se possa diagnosticar prontamente esta afecção, desconhece-se a causa básica da catara senil.

Causas

Classificação

As opacificações do cristalino são todas reunidas sob a designação genérica de cataratas. E conforme o momento em que ocorreu a opacificação, a catarata pode ser classificada como congênita ou adquirida.

Cataratas congênitas: são as que acometem a criança antes do nascimento. Se até o terceiro mês de gravidez a gestante contrair alguma doença  como a rubéola, o sarampo, o tifo exantemático (doença diferente da febre tifóide), ou moléstias viróticas, a  conseqüência poderá ser uma lesão epitelial no ectoderma primitivo, do qual deriva o cristalino do feto. Pela própria formação do cristalino, as cataratas congênitas nunca produzem uma opacificação total, pois o núcleo secundário não está "maduro" e as camadas periféricas não são atingidas pela moléstia.  As cataratas congênitas, portanto, não evoluem, o que permite à criança uma visão razoável. isso porque as camadas periféricas, ainda transparentes, possibilitam a entrada de feixes de luz quando a pupila estiver aberta ou dilatada.  Entre as cataratas congênitas destacam-se a polar anterior e a zonular.

Cataratas  adquiridas: As principais causas das cataratas adquiridas são traumatismos, senilidade e algumas moléstias que causam perturbações endócrinas. Conforme a causa, as cataratas adquiridas podem ser classificadas em senis, traumáticas e metabólicas.

Doenças que podem atingir o olho

Sinais e sintomas

Um dos primeiros sintomas da catarata que  o paciente mais se queixa é a sensação de perda progressiva da qualidade visual.

 

       

                                                                 

A pupila geralmente negra, com a evolução da  doença, torna-se acinzentada e, posteriormente, branco-leitosa. A perda da visão é gradual, porém eventualmente a opacidade torna-se completa.

Apesar dos sintomas, é muito difícil para o leigo identificar a catarata em seu início. A detecção pode ser feita com consultas regulares ao oftalmologista. Geralmente a pessoa só começa a perceber em estágios mais avançados.

Diagnóstico

Atenção:  Qualquer doença ocular só deve ser diagnosticada por um profissional especializado.  Aos primeiros sinais de qualquer problema visual, procure o oftalmologista. Quanto mais cedo for tratado, maior a chance de cura.

Tratamento

O tratamento correto será indicado pelo oftalmologista, que é o médico especializado  para tratar dos distúrbios e doenças do olho.

Não existe tratamento clínico  (com colírios) para reverter ou retardar o processo.

O único tratamento eficaz para a catarata é a cirurgia.  É importante analisar as características da catarata, visto que para cada caso existe uma aplicação cirúrgica específica. Por isso é mais seguro realizar a cirurgia nos estágios iniciais, com o passar do tempo a catarata envelhece o que dificulta o procedimento.    A Facoemulsificação é hoje a técnica mais segura para a remoção da catarata e permite ao paciente   uma rápida recuperação visual.

Facoemulsificação: É a técnica cirúrgica na qual a catarata é emulsificada e aspirada ao mesmo tempo. Após a retirada do cristalino opacificado coloca-se uma lente intra-ocular para restaurar a visão. O olho é anestesiado com colírios, oferecendo maior conforto e a cirurgia é realizada através da de uma pequena incisão  (2,5mm) no olho, por onde a catarata é triturada e aspirada ao mesmo tempo.  O cristalino opacificado é substituído por uma lente intraocular, que ficará permanentemente no olho.

Recuperação pós-operatória: Na maioria dos casos, os pacientes recuperam grande parte da visão logo após a cirurgia.  Dependendo da profissão, a pessoa retorna às suas atividades normais em um ou dois dias. O tratamento pós-operatório é feito à base de colírios. Geralmente, não é necessário dar pontos ou colocar curativos.


Dúvidas de termos técnicos e expressões, consulte o Glossário geral.